All for Joomla All for Webmasters

A Ao vivo

Previous Next

Krisiun - SESC Belenzinho (03.01.19)

Star InactiveStar InactiveStar InactiveStar InactiveStar Inactive
 

Quando uma banda coleciona um público cativo em sua carreira, se torna bem interessante conferir suas apresentações. Agora com uma vertente tão devota como o heavy metal isso é ainda mais impressionante.

Carente de renovação no país e vivendo uma fase de vacas magras, Sepultura e Angra seguem absolutos, mas parece existir atualmente uma terceira força em plena ascensão, o Krisiun, que se apresentou durante duas noites esgotadas no SESC Belenzinho no início desse ano, dias 4 e 5.

Em turnê do álbum Scourge of the Enthroned, o trio formado por Alex Camargo, Max Kolesne e Moyses Kolesne colhe os frutos de uma trilha iniciada há três décadas, mas hoje com uma música muito mais palatável que o início da carreira, quando nasceram clássicos como Black Force Domain. Porém, diferente do Sepultura, o Krisiun consegue hoje manter seu padrão de qualidade intacto, agregando elementos até então impensáveis para sua música tão veloz e pesada.

Os clichês estão lá. Luz intensa, som extremamente alto, riffs e vocais guturais. Os discursos também, afinal, a ideia de uma música marginalizada sempre se fará evidente no estilo. Mas o Krisiun vai bem além.

Fazendo bem a lição de casa, ao vivo a banda hoje soa com uma potência tão atordoante que – somado ao poderio técnico do grupo – fica difícil ficar indiferente. Apostando em um repertório mais atual, o trio hoje parece estar pronto para assumir o lugar até então nunca ameaçado onde vive o Sepultura.

Não, não se trata de uma disputa, mas o Krisiun hoje vem caminhando para se tornar a grande referência do país na música pesada e reflexo disso é como faixas como Combustion Inferno, do álbum Southern Storm, Demonic (2008), e Vengeance's Revelation, ainda dos anos 90, conversam com faixas de Scourge of the Enthroned, caso de Demonic III, Devouring Faith, além da faixa-título do disco, que não deixam o show oscilar em nenhum momento. Muito pelo contrário, o Krisiun vive hoje uma condição onde seus lançamentos são muito bem celebrados e não servem como desculpas para novas turnês.

Com uma apresentação intensa, o trio gaúcho atravessa seu repertório em pouco mais de quinze músicas, sempre registrando seu cover de Motorhead, de Ace of Spades, e encerrando ao som da já clássica Black Force Domain. Um show que abre o ano com a intensidade e coragem que todos precisam, mas mais que isso, reforçando que uma dinastia parece estar chegando ao fim.

A música passa por aqui.

Email:

contato@revistasom.com.br

Fone:

11 98022.7441

Mídias Sociais