All for Joomla All for Webmasters

A Ao vivo

Bobby Womack - HSBC Brasil (19.11.13)

Star InactiveStar InactiveStar InactiveStar InactiveStar Inactive
 

Umadas principais atrações da edição 2013 do festival Back2Black, o lendário vocalista americano Bobby Womack foi responsável pelo braço paulista do festival, que tradicionalmente acontece no Rio de Janeiro desde 2009 e tem como foco as diversas vertentes da música negra. Ao lado do rapper Emicida e DJs da noite paulistana, Womack subiu ao palco do HSBC Brasil na noite do dia 19 de novembro para repassar clássicos de uma carreira de mais de cinco décadas e trinta álbuns.

Seja pela falta de divulgação ou até mesmo por estar posicionado em meio ao período de maior ebulição do calendário de shows brasileiro, o que se viu no HSBC Brasil nessa véspera de feriado foi frustrante até mesmo para o maior dos otimistas. Pouco mais de 500 pessoas compareceram ao evento, que só teve seu início próximo da meia-noite, quando Bobby subiu ao palco acompanhado de mais de dez músicos para ignorar a falta de público e realizar um dos shows mais irrepreensíveis de 2013.

Com um repertório recheado de clássicos, Bobby Womack não desapontou ao seleto grupo de privilegiados que o aguardava até o início da madrugada, dando início ao show com as emblemáticas Across 110th Street e Harry Hippie. Beirando seus 70 anos, o artista americano ainda mostra poder com sua voz e não se faz coadjuvante em nenhum momento ao lado de tantos bons músicos. Mesmo com tantos excessos cometidos ao longo da carreira, fica claro que sua voz impressiona não só pela técnica, mas pelo feeling demonstrado em cada interpretação.

Entre duetos e solos pontuais, faixas como That's The Way I Feel About Cha e The Bravest Man In The Universe roubaram a cena em um repertório que ainda abriu espaço para um cover de Sam Cooke, com A Change Is Gonna Come e a já esperada It's All Over Now, gravada pelos Rolling Stones em 1972.

Ao longo de pouco mais de uma hora, Bobby Womack pouco caminhou no palco ou se alongou em conversas com o público, não dando tempo para que esse respirasse, engatando clássico atrás de clássico até se despedir pela primeira vez  sem muita cerimônia, até mesmo em virtude de sua saúde debilitada, que acabou impedindo uma performance ainda mais intensa.

Fosse melhor trabalhada, a passagem de Bobby Womack pelo Brasil seria um dos eventos mais ricos em história e qualidade dentro de um calendário que, infelizmente, fez com que o público tivesse que optar por um ou outro evento. O relógio já marcada ao menos 01h30 da manhã quando o vocalista se retirou do palco pela última vez, deixando o público ao som ambiente e a presença do rapper Emicida para aqueles que resistiram a essa longa empreitada.

A música passa por aqui.

Email:

contato@revistasom.com.br

Fone:

11 98022.7441

Mídias Sociais