All for Joomla All for Webmasters

L Lançamentos

Previous Next

Semiorquestra - Jogos e Quitutes

Star InactiveStar InactiveStar InactiveStar InactiveStar Inactive
 

Tem cara de jazz para ouvir concentrado, mas também tem cara de festa. Tem cara de afrobeat, mas também tem cara de música brasileira, 100% brasileira, tão brasileira que em boa parte do tempo pouco remete ao ícone maior de Fela Kuti.

Quem ouve ao disco de estreia da Semiorquestra tem diante de si uma musicalidade tão impressionante que nem é necessário que esteja tudo exposto em letras garrafais. Produzido por Cris Scabello (Bixiga 70), o álbum Jogos e Quitutes é uma verdadeira aula de música sem a necessidade de expressar em suas 10 faixas uma única palavra.

Apostando na pluralidade de gêneros, vai do bolero ao baião permeado por uma legião de músicos que justificam o nome do grupo. Formada por João Batista (sax alto), Clara Kok (flauta), Henrique Tognonato (trompete) e Deivide (trombone), que compõem o naipe de metais, a Semiorquestra ainda conta com João Sampaio (guitarra), Luca Frazão (violão de 7 cordas), Alex Huszar (baixo), Joera Rodrigues (bateria), Leonardo Cordeiro (percussão) e Caio Barbosa (percussão). Um projeto gigante e ousado, mas que justifica tal investimento ao longo de suas faixas.

Fadado a um dos grandes lançamentos de 2019, Jogos e Quitutes abusa de faixas no mais alto nível, mas que não se repetem em nenhum momento. Do baião de Iguaria de Milho ao bolero de Curinga da Canastra, o disco aposta ainda no samba, no (óbvio) afrobeat e em vertentes refinadas como o jazz. Aliás, talvez esse seja o grande trunfo do disco, ao mostrar que tais gêneros sempre foram a gênese do povo, tal qual o talento de Pixinguinha e Miles Davis. Mais do que um disco explorando ritmos, o que fica claro nas faixas do disco é que tudo isso é POPULAR.

Existe um misto de complexidade com simplicidade na música da Semiorquestra, faixas como Piuí, por exemplo, mesclando uma estrutura complexa a partir de uma melodia que prima pela simplicidade. Nada mais brasileiro do que isso.

Sem paredes e sem fronteiras (a não ser aquelas que poderiam delimitar o território nacional), Jogos e Quitutes é um disco para se ouvir várias vezes, decorar suas melodias (uma tarefa fácil, acredite) e se deslumbrar com a música brasileira. Entre o sopro, as cordas e a percussão, há nesse projeto um orgulho de mostrar o que esteve sempre na nossa cara, mas que parece se esconder ou se travestir de inacessível.

Não podemos nos enganar. Somos ricos musicalmente e temos em nosso ritmo todos os ritmos do mundo. E a Semiorquestra mostra isso pra gente da forma mais clara possível.

A música passa por aqui.

Email:

contato@revistasom.com.br

Fone:

11 98022.7441

Mídias Sociais