All for Joomla All for Webmasters

L Livros

Previous Next

Renato Russo - O Filho da Revolução (Autor: Carlos Marcelo)

Star InactiveStar InactiveStar InactiveStar InactiveStar Inactive
 

Renato Russo e a cidade de Brasília nasceram no mesmo ano, em 1930. E é um retrato da juvertude de ambos, o cantor e a capital federal, que o jornalista Carlos Marcelo apresenta em Renato Russo - O Filho da Revolução, lançado pela Editora Agir.

O livro passa por toda a trajetória de Renato Manfredini Junior, com ênfase na juventude do cantor e em sua transformação em porta-voz de uma geração Como pano de fundo, o autor desenvolve um preciso panorama do momento histórico que o Brasil atravessava ao longo da vida de Renato Russo. Em especial, fala-se dos últimos anos da ditadura militar e da efervescência musical brasiliense do início dos anos 80. Carlos Marcelo faz uma reconstrução bastante precisa da cena rock and roll que nascia em Brasília — e, principalmente, do surgimento do Aborto Elétrico, que mais tarde daria origem à Legião e ao Capital Inicial.

Renato Russo - O Filho da Revolução é uma imagem bastante precisa da vida e da personalidade do cantor, mas sem carregar demais em nomes e datas. Há verdadeiros achados entre as imagens, que incluem manuscritos das letras das músicas da Legião Urbana. E o autor não poupa sequer as detalhes sórdidos, como a noite em que Renato Russo leva um fora de Flávio Lemos, atual integrante do Capital Inicial.

O que diferencia essa obra de tantas outras biografias é o modo como Carlos Marcelo a constrói. O texto não se desenvolve no estilo documental comum às biografas, mas forma uma narrativa literária em que Renato aparece como personagem. O uso de diálogos diretos (aqueles com travessão, representando a fala exata das pessoas) contribui para a graça 'romanesca' da biografia.

Outra característica interessante é que as entrevistas nas quais o jornalista se baseou para reconstruir a trajetória de Renato incluem tanto personalidades da época - músicos, escritores, militares, políticos - quanto pessoas completamente anônimas como colegas de escola do artista.

O cuidado que o autor imprime no texto revela a proximidade do jornalista com o tema. A história se inicia com Renato asilado em seu apartmento após uma conturbada apresentação da Legião Urbana no estádio Mané Garrincha, que terminou em quebra-quebra, com cerca de 200 feridos. Nesse fatídico show estava também Carlos Marcelo. Ele estava presente quando o cantor expressou sua indignação com o tumulto que se formava - motivo pelo qual Renato chegou a receber ameaças de morte.

A efetiva morte do cantor é contada de modo frio, distante e rápido. O que fica é a imagem viva e inquieta de um Renato Russo jovem e sedento de mudanças pulsando no coração do Brasil.

A música passa por aqui.

Email:

contato@revistasom.com.br

Fone:

11 98022.7441

Mídias Sociais